Gestão agrícola: 3 passos para gerir pessoas e finanças

Confira as dicas para fazer a gestão agrícola da sua propriedade da melhor maneira possível!

Um dos maiores desafios do produtor rural advindo da agricultura familiar é a gestão agrícola estratégica do próprio negócio. São muitas as dúvidas e dificuldades, entre elas, custos fixos, variáveis, gastos mensais com defensivos e organização das compras. Manter o gerenciamento em dia é fundamental para o sucesso de qualquer atividade. Pensando nisso, listamos algumas dicas que poderão ajudar você a crescer. Com essas informações você terá muito mais domínio de sua propriedade e conseguirá tomar decisões estratégicas e condizentes com a sua realidade. Boa leitura!

 

3 dicas para aperfeiçoar a gestão agrícola

1 – Planejamento

A melhor maneira de construir um futuro promissor e sólido para o seu negócio é planejando e definindo metas de curto, médio e longo prazo. Essas metas podem ser estabelecidas como tarefas que devem ser cumpridas diariamente.

Além disso, é muito importante anotar as informações de cada etapa. Uma ferramenta muito conhecida e funcional é o chamado “caderno de campo”, onde o produtor faz anotações diversas em relação às atividades e acontecimentos diários em sua área de produção, como, por exemplo: variedades cultivadas, tratos culturais (roçadas, aplicações de defensivos, manejo do solo e da água, entre outros) e variações do tempo (volumes de chuva, temperaturas e umidade relativa do ar).

Exemplo prático: Na cultura da soja, ao realizar o monitoramento do nível de infestação de percevejo-marrom, por exemplo, é possível saber se a infestação atingiu o Nível de Ação (NA) ou Nível de Dano Econômico (NDE). Em posse destas informações, planeja-se o melhor momento de realizar o controle, otimizando recursos. 

É essencial coletar os dados de infestação de insetos, doenças, plantas daninhas, preços pagos por insumos e defensivos, quantidade de mão-de-obra e seus custos, custos de maquinários e horas de trabalho, entre outros. Você também pode contar com tecnologias voltadas para a gestão agrícola. Essas ferramentas simplificam o processo e ajudam a aumentar a produtividade e a análise de suas anotações.

2 – Organização financeira

Saber quanto custa produzir e por quanto vender é a base para o crescimento de qualquer negócio e não seria diferente com as propriedades rurais. Neste caso, recomenda-se o uso de ferramentas para registrar o custo de produção e o planejamento da safra. Algumas delas são muito simples, como uma planilha digital (embora haja um certo receio ao se adotar ferramentas digitais em algumas propriedades agrícolas) ou até mesmo um caderno.

Quando o produtor planeja o fluxo de caixa e provisiona antecipadamente os recursos para os pagamentos, acaba organizando as finanças da fazenda e, com isso, passa a ter mais flexibilidade para fazer as melhores escolhas e não se endividar. Além disso, o planejamento financeiro é uma excelente estratégia de apoio para a tomada de decisão e delineamento de investimentos futuros. Não esqueça de distinguir os gastos do campo com os pessoais, para que não ocorram conflitos posteriores.

É importante estar atento às tendências do mercado: se informe participando de eventos, em sites de notícia, sites financeiros, revistas agropecuárias e blogs reconhecidos e de confiança. Um exemplo é o site do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). Na seção “Custos e Gestão”, é possível ter a estimativa dos custos de produção, que, posteriormente, são comparados aos preços de venda da produção.

3 – Liderança e equipe

Mesmo em propriedades rurais pequenas, é fundamental que o proprietário seja organizado e saiba elencar suas prioridades para que tudo seja executado da melhor maneira possível. Buscar parceiros e fornecedores confiáveis pode garantir uma gestão mais eficiente e tranquila.

Em lavouras maiores, um verdadeiro líder, além de definir o papel de cada integrante da equipe, também é responsável por motivar e incentivar os trabalhadores. Por meio de sua influência, ele deve fazer com que todos estejam envolvidos e dedicados aos processos visando um único objetivo: alcançar os resultados planejados. Na prática, é possível usar recompensas por cumprimento de metas ou até mesmo participação nos lucros da produção.

Saber delegar e repassar conhecimento são pontos chave para a formação de um time unido e competente.

Recapitulando, entre os erros mais comuns na gestão de uma propriedade rural estão:

  • Não registrar, nem organizar informações importantes;
  • Não ter organização financeira e/ou misturar despesas pessoais com as da atividade agrícola;
  • Não calcular o lucro adequadamente.

Uma boa gestão agrícola, além de ajudar na tomada de decisões na lavoura, também evita o desperdício de insumos e facilita a mudança de rota em casos de crises e/ou imprevistos. Além disso, conhecer os custos de produção é importante para tentar encontrar formas de reduzi-los. Conhecer os valores de venda são fundamentais para que você consiga calcular seu lucro líquido.

Quer ficar bem informado e otimizar ainda mais a produção? Veja outros conteúdos aqui!

1 thought on “Gestão agrícola: 3 passos para gerir pessoas e finanças

  1. […] Com esses dados em mãos, é preciso analisar as informações para descobrir quais são as necessidades da fazenda e o que pode ser otimizado para fazer o planejamento das ações que serão realizadas. Para isso é possível utilizar um software de gestão agrícola. […]

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: