Agricultura de precisão e sua importância para o agronegócio

O agro 4.0 já é a realidade de muitas lavouras. Neste post falaremos sobre a agricultura de precisão e como a tecnologia pode ser o diferencial na sua colheita.

A tecnologia atingiu todas as áreas do desenvolvimento humano, do aspecto social ao trabalho. Um dos mais importantes avanços no que diz respeito ao aprimoramento de atividades laborais é a agricultura de precisão.

Se ainda não ouviu falar desse conceito ou se já está familiarizado, mas gostaria de saber mais sobre os detalhes dessa proposta tecnológica, continue lendo. Neste post explicaremos tudo sobre o assunto!

O que é a agricultura de precisão?

O termo agricultura de precisão surgiu nos anos 1980, embora os principais conceitos já eram praticados há muito tempo.

Resumidamente, a agricultura de precisão é uma série de práticas que incluem, dentre outras, um aprimoramento da gestão e administração eficaz de todos os processos das lavouras para tirar o maior proveito da produção agrícola diminuindo consideravelmente o trabalho e os gastos desnecessários.

Como já mencionamos, essa prática já é utilizada há algum tempo, porém, a tecnologia tem ajudado o agronegócio a dar vários passos à frente. De fato, o conceito inclui vários tipos de ferramentas tecnológicas como também diversos produtos e serviços.

A ideia é conhecer a fundo, por meio de uma eficaz captação de dados usando softwares e meios digitais, as necessidades particulares de produção agrícola das propriedades. Com isso, é possível conseguir tomar melhores decisões para reduzir os custos, investir onde realmente seja essencial, gastar energia e recursos somente onde for necessário, proteger o meio ambiente e — em alguns casos — até aumentar a produção, dentre outros benefícios que falaremos em breve.

Como funciona?

A agricultura de precisão pode ser usada tanto em grandes fazendas quanto em pequenas propriedades e sua implementação depende de vários fatores, como o tamanho da lavoura. Porém, é possível fazer um resumo de três pontos básicos dessa prática.

Antes de tudo é necessário definir que tipos de informações serão necessárias, de acordo com o objetivo que se quer alcançar. Alguns exemplos de dados que podem ser coletados são: mapas de fertilidade, umidade, temperatura, luz, vento, amostragem do solo, clima, plantas daninhas, fauna e muito mais. Isso é feito por meio da intervenção humana, mas também com a ajuda de vários dispositivos, equipamentos e sensores colocados nas máquinas agrícolas. Também é possível contar com a ajuda de drones e/ou dispositivos móveis.

Essa tarefa servirá para identificar os fatores que influenciam a produtividade da colheita, por exemplo.

Com esses dados em mãos, é preciso analisar as informações para descobrir quais são as necessidades da fazenda e o que pode ser otimizado para fazer o planejamento das ações que serão realizadas. Para isso é possível utilizar um software de gestão agrícola.

Vale destacar que, embora a assistência tecnológica seja fundamental na agricultura de precisão, não é a inteligência artificial que terá a última palavra. O produtor rural, junto com agrônomos e programadores, será aquele que — agora sim — com a ajuda da IA, Internet das Coisas (IoT), algoritmos, Big Data, geolocalização e automação (só para mencionar alguns) planejará um processo de cultivo inteligente usando como referência os dados coletados.

Finalmente, chegou a hora de colocar em prática o que foi falado. Nesse ponto deverá ser feito um acompanhamento para corrigir possíveis erros e garantir que tudo está funcionando conforme o planejado.

Uma das facetas mais interessantes da agricultura de precisão é que ela permite segmentar a terra. Considerando que um produtor faça o cultivo de diferentes culturas em sua propriedade, uma espécie pode demandar mais fertilizante que a outra, assim como uma espécie pode ter sido afetada por uma praga e a outra não.

Com a AP podemos automatizar os processos para que os trabalhos se adaptem exatamente às necessidades de cada espaço, evitando os desperdícios de uma atividade homogênea, como na agricultura convencional.

Quais são os benefícios?

  • O meio ambiente é muito menos danificado

Com os processos inteligentes e aprimorados da agricultura de precisão é possível diminuir consideravelmente o dano ocasionado à terra, tanto pelo menor desperdício de produtos quanto pelo melhor aproveitamento deles.

Utilizando processos de pulverização de agrotóxicos mais eficazes, como é o caso do serviço da Agrize de aplicação de defensivos agrícolas com drones, já não é necessário pulverizar uniformemente uma lavoura inteira, gerando assim menos impacto na saúde da terra.

  • Redução de custos

Também por conta do aumento da eficiência da pulverização, junto com uma administração inteligente, aprimoramentos constantes, controles efetivos e melhor distribuição das sementes, o uso de insumos e a mão de obra são substancialmente reduzidos, o que repercute de forma direta na diminuição dos custos.

  • Maior produtividade

Se juntarmos tudo o que foi mencionado, e adicionarmos uma medição certeira do clima, umidade, temperatura e fertilidade do solo, podemos efetivar um cultivo customizado onde cada pedaço da terra recebe exatamente o que precisa, aumentando assim as chances de ótimas colheitas, tanto na qualidade quanto na quantidade.

  • Correção imediata dos processos

A tecnologia que envolve a agricultura de precisão permite que todos os processos possam ser monitorados em tempo real ou com uma periodicidade mais do que útil para corrigir e aprimorar os processos na hora.

Alguns benefícios desse ponto são: a capacidade de evitar rapidamente o surgimento de pragas, ou seja, não é preciso esperar até o final da colheita para repensar o aprimoramento do cultivo; a possibilidade de fazer testes rapidamente; a prevenção de uma colheita de baixa qualidade ou mesmo a perda de parte dela por falta de nutrientes; aumento do rendimento da colheita, entre outros.

O que é preciso para fazer agricultura de precisão?

Depois de todos os benefícios mencionados, não há dúvidas de que o agro 4.0 — isso é, a produção agrícola somada com a tecnologia — é o futuro da agricultura.

Porém, dar os primeiros passos pode parecer algo complicado, já que a agricultura de precisão é, na realidade, um conjunto de práticas de aprimoramento da colheita.

Um bom começo para entrar no mundo agro do futuro é conhecer o status dos nutrientes na lavoura por meio da tecnologia de diagnóstico nutricional por imageamento aéreo. Com esses dados, já é possível realizar um planejamento de pulverização inteligente e efetivo para melhorar a produtividade e a qualidade das suas colheitas.

Ficou com alguma dúvida? Entre em contato conosco, será um prazer responder suas perguntas!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: